segunda-feira, março 19, 2007

Quem sabe...

A chuva me pegou de surpresa no caminho, agora o corpo pede repouso, cobertores, cuidados. Um pouco de conforto. Existe um certo conforto em andar por caminhos e rostos bem conhecidos. Não estou falando de meses, não estou falando de tempo nenhum.

Se aqui nessa cidade eu sinto alguma saudade, é de uma sensação, alguma coisa que existe em algumas rodas, alguns natais, e em outros não. De não precisar competir. Na dialética eterna do conforto e da aventura, eu agora escolho o conforto.

Vou fazer drama por aí, quem sabe alguém me abraça...

3 comentários:

Luis disse...

saudade é coisa de baiano!

Juliana disse...

já falei; se você viesse aqui no rio, ganhava vários abraços.

tarciso disse...

e o Rio é logo ali...