segunda-feira, maio 12, 2008

Andei querendo dizer...

"O desejo de autenticar a si mesmo, suas motivações, seus sentimentos é uma forma de puritanismo. Não obstante a liberação de nossa sexualidade, estamos dentro da óbrita de auto-justificação, que definia o mundo do puritano. Isto acontece por uma razão específica: os sentimentos narcisistas não raro se concentram em questões obsessivas, se sou bom o bastante, se sou adequado, e assim por diante. Quando uma sociedade mobiliza tais sentimentos, quando esvazia o caráter objetivo da ação e dilata a importância dos estados emocionais subjetivos dos agentes, estas questões de auto-justificação, através de um ato simbólico, vêm sistematicamente à tona. A troca que vem ocorrendo entre preocupação pública e preocupação privada, ao mobilizar estas questões obsessivas da legitmidade do eu, tornou a despertar os mais corrosivos elementos da ética protestante, em uma cultura que já deixou de ser ser religiosa mas que tampouco está convencida de que a riqueza material é uma forma de capital moral."

(Richard Sennett em O Declínio do Homem Público)

2 comentários:

juliana disse...

well said

Maucir disse...

Bastante oportuno.
O texto anterior também é muito bom.