domingo, junho 10, 2007

Dias Estranhos

Tenho visto os dias nascerem, mas não o por-do-sol. São dias estranhos, começam escuros, terminam claros. Entendi que estou prolífico, hoje. Deve ter sido essa idéia de trocar o dia pela noite, que eu ando experimentando.

Eu agora paro muito mais do que escrevo e descobri que muitas coisas de que eu falava muito podiam ser ditas em outras, poucas palavras. Eu cansei de ficar tanto tempo lamentando, descobri que é bom sentir as coisas, viver de dentro, as coisas cheias de cores sem precisar pensar nas cores, em coisas cheias de luz. Não perco mais o sol.

Agora eu vou tomar meu café.

5 comentários:

Cibelle disse...

Meu café da manhã também tem sido regado a torradas enluaradas...
Mas...
Prolífico?

Tenha um 'bom dia', Henrique!
=)

Beijos

Mrs. Hynde disse...

Acredite, perder o sol é perder um pouco da luz do dia, mas perder a lua é perder um pouco dos mistérios da noite. Dose um pouco os dois.

Juliana disse...

pois que bom.

e, por favor, não use gerúndio. já basta os paulistas irritantes da net.

tarciso disse...

Prolífico só na visão de um escritor de haikais... quanto ao uso do gerúndio - aqui está muito bem colocado - o que o paulista faz e o faz inadequadamente, é anteceder o gerúndio por um verbo no infinitivo (ex.: vou estar lamentando) e aí sim - a Juliana tem razão - pois é um vício de linguagem horroroso!

Tainã disse...

Muito bom o texto!!